Como a nova bandeira da JCI Cascavel influencia a economia

Como a nova bandeira da JCI Cascavel influencia a economia

30 de janeiro de 2020 0 Por admin

Vivemos em tempos difíceis. De acordo com a ONU, a escassez de água está se tornando um problema cada vez maior, e caso nada seja feito, quase 3 bilhões de pessoas podem ficar SEM ÁGUA até 2025. Não podemos, e nem vamos ficar parados diante desta situação, A JCI Cascavel adotou então o tema água, e o futuro dela em nossa sociedade, como a sua bandeira permanente. Portanto batalharemos incansavelmente para que este recurso tão importante seja melhor utilizado. Entretanto, seria este recurso importante apenas para nossa sobrevivência? Como ele afeta um país?

ÁGUA PARA FAZER O QUE?

Para entender a importância da água na economia precisamos primeiro analisar o que fazemos com a água. Obviamente você já pensou em suas dezenas de formas de utilizar a água, seja para ingestão, para preparo de alimentos, para tomar banho, lavar a calçada ou curtir a piscina sempre acabamos utilizando um pouco de água, não é? Na indústria não é nem um pouco diferente, tampouco na agricultura e na pecuária.

De acordo com a ANA (Agência Nacional de Águas), em 2017 as maiores demandas de água no país foram justamente para a irrigação de plantações (68,4%) e para o abastecimento animal (10,8%), depois destes, temos a indústria (8,8%) e o abastecimento urbano (8,6%).

COMO A ÁGUA AFETA O MEU BOLSO?

A água afeta nosso poder de compra tanto de maneira direta, quanto de maneira indireta. Começamos lembrando que a matriz energética brasileira é baseada quase que inteiramente nas usinas hidrelétricas, que aproveitam a força da água nos rios para girar enormes turbinas, gerando grande quantidade de eletricidade. Entretanto, esta força produzida pela água é inteiramente dependente de quantidade de água presente no rio, o que significa que em períodos de seca a quantidade de energia elétrica gerada nas usinas é reduzida, muitas vezes sendo insuficiente para suprir a demanda. Nestes casos, o governo é obrigado a acionar as caras usinas termoelétricas, que produzem energia através da queima de combustível. De acordo com artigo do ministério da ciência e da tecnologia, o custo final médio da produção de energia em hidrelétricas é de 129 reais por megawatt, enquanto apenas o gasto com combustível em termoelétricas acionadas por óleo combustível chega a 419 reais por megawatt. Portanto, o valor da conta de energia elétrica depende inteiramente da água disponível.

Além disso, grande parte da cadeia de produção depende da água, sendo que as industrias química, têxtil e alimentícia são extremamente afetadas pelo preço do recurso. Em 2015, uma seca atingiu São Paulo e fez com que diversas industrias decretassem férias coletivas para contornar os prejuízos com o alto custo por litro. O preço destes produtos aumenta substancialmente conforme a seca.

Quem mais depende da água, sem dúvidas é o setor agrícola, que depende completamente do recurso. Uma seca vai encarecer ou até inutilizar o sistema de irrigação de uma plantação. Com o sistema ineficiente, diversas plantas irão morrer, e as que sobreviverem estarão com qualidade menor. A água impacta diretamente no custo dos alimentos, sendo que uma seca terá como resultado produtos de menor qualidade e maior preço.

Como podemos observar, a escassez de água pode gerar um grande aumento no preço da grande maioria das nossas contas, pagamos mais caro na conta de água, na conta de luz, nos deparamos com grandes aumentos nos preços de nossa comida, e tomamos sustos quando vamos as lojas.

Para piorar a situação: O que acontece quando o preço de TUDO aumenta? A inflação aumenta também, os juros se elevam, e a economia desaquece.

SOMOS AFETADOS APENAS EM PERIODO DE SECA?

Não, o sistema brasileiro de distribuição de água também é extremamente ineficiente, de acordo com uma pesquisa do instituto Trata Brasil, a quantidade de água perdida entre a captação e o usuário final chegou a pasmem, 40%. Isso significa que em média, para cada 60 litros que chegam em sua casa, foram retirados 100 litros do reservatório. Essa perda é decorrente de vazamentos, roubos, ligações clandestinas ou falhas de medição.

Ainda de acordo com a pesquisa, se reduzíssemos em 15% o nível de perda, em 5 anos, apenas as empresas de abastecimento teriam lucros de 3,85 bilhões de reais, o que abriria espaço para melhorias no sistema, que levariam a melhores índices de perda, e consequentemente mais lucro. Em última instância, o preço por litro de água teria reduções, melhorando TODOS os setores da economia, reduzindo a inflação e os juros.

Portanto, podemos ver o quanto o uso da água afeta a economia de QUALQUER país. O Brasil tem uma posição geográfica extremamente privilegiada quanto aos recursos hídricos, mesmo assim, temos sistemas ineficazes e hábitos ruins. Com a melhoria de hábitos e investimentos em redução de perdas poderíamos aproveitar muito mais desta vantagem.