Covid-19: que é isso?

Covid-19: que é isso?

6 de março de 2020 0 Por Diego Kruger

A humanidade atravessa um momento difícil onde devemos colocar em prática aquilo que rege os princípios da JCI

Por recomendações, JCI Cascavel adotou as reuniões online nesse momento de incerteza

Uma pandemia mundial. Todos afetados. Momento para pânico? Nada disso. Por mais que as notícias sejam alarmistas, muitas vezes exageradas, é chegado o tempo de pontuarmos, pararmos e colocar em prática os preceitos do juniorismo: ajudar-nos uns aos outros. A JCI é uma ponte entre os desafios e a solução e em Cascavel não é diferente. “Vamos atravessar essa crise mais fortes. Não será a primeira vez que nosso planeta passa por situações de grande preocupação e em todas, uma grande lição foi aprendida. Desta vez, eu creio que a grande lição é parar, pontuar, e ter uma vida mais simples. Todo cuidado é essencial diante de desafios que não conhecemos, mas isso não nos impede de agir e ajudar o próximo”, frisa Cristofer Farias, presidente da JCI Cascavel.


Covid-19: que bixo é esse?

Vírus são pacotinhos de genes — nem dá pra chamar de “ser” ou “micro-organismo” porque eles dependem de uma célula viva para se replicar e sobreviver — que estão em evolução contínua. Tudo para se adaptar melhor ao(s) hospedeiro(s) e se perpetuar. Nessa corrida pelo sucesso, eles sofrem mutações que ajudam e outras que atrapalham sua propagação, e mesmo o pulo para as demais espécies animais. O vírus responsável pelo Covid-19 é apontado como uma variação da família coronavírus. Os primeiros foram identificados em meados da década de 1960, de acordo com o Ministério da Saúde. A doença provocada pela variação originada na China foi nomeada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como Covid-19, em 11 de fevereiro. Ainda não está claro como ocorreu a mutação que permitiu o surgimento do novo vírus. Outras variações mais antigas de coronavírus, como SARS-CoV e MERS-CoV, são conhecidas pelos cientistas. Eles também chegaram aos humanos por contato com animais: gatos, no caso da Sars, e dromedários, no vírus Mers.

A OMS emitiu o primeiro alerta para a doença em 31 de dezembro de 2019, depois que autoridades chinesas notificaram casos de uma misteriosa pneumonia na cidade de Wuhan, metrópole chinesa com 11 milhões de habitantes, sétima maior cidade da China e a número 42 do mundo. O tamanho é comparável com a cidade de São Paulo, que tem mais de 12 milhões de habitantes.